Programação do Femesc 2022, situação das UTIs neonatais e Remuneração dos médicos são pautas da reunião do COSEMESC

Os representantes do Conselho Superior das Entidades Médicas (COSEMESC) estiveram reunidos na terça-feira (24/05), no CRM-SC, para mais uma reunião de trabalho.

O encontro tratou sobre o 23º Fórum das Entidades Médicas de Santa Catarina (Femesc) que será realizado no dia 1º de julho, em Florianópolis, no auditório do CRM-SC. O tema desta edição será Valorização do Trabalho Médico: O Presente e o Futuro. Em breve a programação será divulgada. 

Também foi discutida a falta de leitos de UTIs neonatais e pediátricas em Santa Catarina, além do Decreto nº 1.752/2022, que trata da Remuneração por Produtividade Médica (RPM).

O presidente do CRM-SC e coordenador do COSEMESC, Eduardo Porto Ribeiro, informou que no dia 7 de junho está agendada reunião com a Secretaria de Estado da Saúde para tratar das solicitações de ajustes o Decreto nº 1.752/2022, que trata da Remuneração por Produtividade Médica (RPM), entregue pelo COSEMESC à SES em abril.

 A situação dramática em todo o estado das UTIs neonatais, devido à falta de leitos foi amplamente debatida pelos representantes do COSEMESC. O presidente do CRM-SC destacou que a situação pode ficar ainda mais grave, “as UTIs estão superlotadas e ainda nem é inverno”. O presidente da Academia Catarinense de Medicina , Jorge Abi Saab ressaltou a urgência de contratar mais profissionais qualificados e defendeu aumentar o valor da gratificação. “Os médicos precisam ser melhor remunerados”.

“O assunto é grave e precisa de atitude urgente. Nosso papel é insistir com os gestores para que medidas sejam tomadas”, declarou o presidente do SIMESC, Cyro Soncini. Segundo ele, a aplicação de uma gratificação extra para os médicos destes setores seria uma maneira de em curto prazo contribuir para que as vagas sejam preenchidas, enquanto o concurso público não é viabilizado.

“A compra de leitos privados é outra alternativa que merece atenção”, acrescentou o conselheiro do CRM-SC, Marcelo Lemos dos Reis.

Os comentários estão encerrados.